Top
Jornadas Incríveis / Geral  / Novas Regras para a Bagagem de Mão

Novas Regras para a Bagagem de Mão

Quem aí não curte uma promoção de passagens aéreas? Mas se atentem, no ato da compra é fundamental conferir quais as regras de bagagem. A cobrança pelo despacho de bagagem acabou mudando os hábitos de muitos brasileiros.  Para evitar a cobrança, os passageiros tem optado em viajar apenas com a bagagem de mão.

Até aí tudo bem, o problema foi que isso vinha se tornando um transtorno na hora do embarque, a mudança acabou superlotando os compartimentos nas cabines, gerando demora na hora de acomodar as bagagens.

As novas regras em vigor têm como objetivo fiscalizar as dimensões das bagagens antes do início do embarque para que as regras sejam cumpridas e não haja atrasos.

Caso o passageiro tenha alguma bagagem de mão que não atenda os padrões exigidos (tamanhos e peso), o passageiro poderá ser multado ou terá que despachar as bagagens mediante taxas.

As novas regras do padrão da bagagem de mão para voos nacionais entraram em vigor dia 25 de Abril em 4 aeroportos do país: Brasília, Campinas, Curitiba e Natal. A partir do dia 23 de maio, mais 16 aeroportos passarão a exigir os novos padrões de bagagem de mão.

 

Mas afinal, o que seria uma bagagem de mão?

Bagagem de mão é aquela que pode ser levada junto ao passageiro durante a viagem. Segundo a ANAC, a bagagem de mão pode pesar ate 10 kg e o seu volume deve ser definido por cada companhia aérea.

 

Segue abaixo as dimensões permitidas em cada companhia:

 

Bagagem de mão voos nacionais
Linha aérea Volume Dimensões Peso
Azul Linhas Aéreas  1 bagagem de mão + 1 item pessoal* 55 cm x 35 cm x 25 cm** 10 kg
Avianca 1 bagagem de mão + 1 item pessoal* 55 cm x 35 cm x 25 cm** 10 kg
GOL Linhas Aéreas 1 bagagem de mão + 1 item pessoal* 55 cm x 35 cm x 25 cm** 10 kg
LATAM 1 bagagem de mão + 1 item pessoal* 55 cm x 35 cm x 25 cm** 10 kg

 

 

Artigos Pessoas

Além da bagagem de mão o passageiro poderá levar a bordo os chamados itens pessoais que deverá ser acomodado abaixo do assento a frente.

  • Pode ser uma bolsa, mochila para notebook ou bolsa para bebê.
  • Você deverá guardá-lo sob o assento dianteiro, a menos que viaje na primeira fila ou em alguma das saídas de emergência.
  • É importante que esteja sempre sob seu cuidado e responsabilidade.
  • As dimensões máximas do seu artigo pessoal são de 45 cm x 35 cm x 20 cm (altura, largura e comprimento).

 

 

Outros itens que você pode levar na cabine sem custos

  • Cigarros eletrônicos que, de acordo com as regras da Anac(Agência Nacional de Aviação Civil), só podem ser transportados como bagagem de mão;
  • Uma jaqueta ou equivalente;
  • Um guarda-chuva de bolso sem ponta (não são permitidos guarda-sóis ou guarda-chuvas de grandes dimensões);
  • Uma câmera fotográfica pequena;
  • Um par de binóculos;
  • Artigos de leitura (livros, revistas ou tablet);
  • Uma sacola pequena de duty free.

 

O que não é permitido levar na bagagem de mão

 

Segundo a ANAC, não podem estar nos volumes de mão objetos cortantes e produtos inflamáveis, explosíveis e outros itens classificados como artigos perigosos (salvo exceções), armas, ferramentas de trabalho (pés de cabra e alavancas similares), substancias químicas ou toxicas. Não são permitidos aerossóis e atomizadores, exceto os de uso médico ou de asseio pessoal. A quantidade máxima permitida é de quatro frascos por pessoa, assim como o conteúdo, em cada frasco, ser inferior a 300 ml ou 300 g;

Na dúvida, consulte a empresa aérea.

 

 Aguardando novas mudanças

 

O Ministério Publico Federal emitiu uma nota no dia 29/04 em que se manifesta favorável a aprovação da emenda que obriga as empresas aéreas a oferecerem despacho gratuito de bagagens para voos domésticos e internacionais. A emenda aprovaria a volta da franquia mínima e gratuita de bagagem, cancelada em 2016.

 

“Ao longo da vigência das novas regras, falharam todas as supostas justificativas da Agência para a restrição do despacho de bagagens: não houve redução no preço dos bilhetes e não melhorou a concorrência entre as empresas aéreas. Ao contrário, o preço estipulado para o despacho das bagagens nos voos domésticos encontra-se na prática tabelado, pode-se dizer cartelizado, e já sofreu reajuste de mais de 100% desde sua entrada em vigor, há pouco menos de dois anos, contra uma inflação de menos de 10% no período”, diz trecho da nota assinada pelo subprocurador-geral da República Augusto Aras, e pela procuradora da República Maria Emília Moraes de Araújo.

 

A nota ainda ressalta que as restrições às bagagens de mão, recentemente anunciadas, são lesivas aos consumidores, pois as dimensões estabelecidas são inferiores aos padrões de malas vendidas no mercado. “Trata-se de nova forma abusiva de obrigar os passageiros ao pagamento do despacho da bagagem que, sendo efetivado no balcão do aeroporto, sofre aumento de 100%”.

Ficamos na torcida aguardando o desfecho dessa situação para que sejam prevalecidos os direitos dos consumidores. Que tudo se resolva da melhor forma possível e assim possamos viajar tranquilos e seguros com preços acessíveis.

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply: